Linha de
investigação

A investigação que tenho levado a cabo ao longo do primeiro semestre, tem-me aproximado, das questões ligadas à autoria e ao papel do design na sociedade contemporânea. Por um lado, a uma condição moral ou ética, por outro, à ideia de obsolescência do autor e do designer.

A este respeito, ecou na minha reflexão, a obra e o pensamento de Hélio Oiticica em "Da adversidade vivemos", pela sua intervenção, interacção e cruzamento social, mas também por ser exemplo da [re]invenção e [re]construção do autor e da obra.

O corpo – entendido como meio e dispositivo – permite concretizar esta interacção. Ao mesmo tempo, a imersão através do som e da imagem torna possível a comunicação e convergência entre espaço real e espaço virtual, entre espaço físico e espaço metafísico e permite criar uma realidade ampliada.

 

O interface assume um papel central nesta intersecção entre homem e tecnologia. O designer retoma a sua condição autoral, crítica e social.

Questão central:
- Como se (re)constrói o processo de design face à introdução dos novos media e enquanto elemento activo e transformador da sociedade?

Questões secundárias:
- Como definir autoria na área projectual do design num contexto pós-media (WEIBEL, 2005)?
- Pode a criação de uma realidade ampliada ambicionar a releitura e (re)construção individual e social?
- Poderá o corpo funcionar como meio e dispositivo num ambiente de realidade aumentada?
belasartes